Abates de bovinos e frangos caíram no País no segundo trimestre, mas os de suínos aumentaram



AUTOR

Cândida Azevedo

No 2º trimestre de 2020, foram registrados abates de 7,30 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 8,0% inferior à obtida no 2° trimestre de 2019 e 0,3% acima da registrada no 1º trimestre de 2020. É o resultado mais baixo para um 2º trimestre desde 2011, levando em consideração a série histórica iniciada em 1997, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na produção de frangos de corte, registrou-se abate de 1,41 bilhão de cabeças de frangos, queda de 1,0% em relação ao mesmo período de 2019 e recuo de 6,8% na comparação com o 1° trimestre de 2020. Este é o pior resultado para um trimestre desde o 2° trimestre de 2018.

O 2º trimestre de 2020 registrou-se abates de 12,10 milhões de cabeças de suínos, um aumento de 6,2% em relação ao mesmo período de 2019 e um acréscimo de 1,8% na comparação com o 1° trimestre de 2020.

Exportação contribui para o abate recorde de suínos

No 2º trimestre de 2020, foram abatidos 12,10 milhões de cabeças de suínos, representando aumentos de 6,2% em relação ao mesmo período de 2019 e de 1,8% na comparação com o 1° trimestre de 2020. Na comparação mensal, foi registrado o melhor resultado de abate para o mês de junho. O resultado consiste em um recorde para a série histórica. As exportações de carne suína, também atingiu valores recordes  no 2º trimestre, que contribuíram para este setor da economia em meio ao panorama de incertezas ocasionado pela pandemia do COVID-19.

Fonte: Adaptado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020.

O abate de 708,61 mil cabeças de suínos a mais no 2º trimestre de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior, foi impulsionado por aumento no abate em 11 das 25 Unidades da Federação participantes da pesquisa. Entre os estados com participação acima de 1,0%, ocorreram aumentos em: Santa Catarina (+371,44 mil cabeças), Paraná (+230,33 mil cabeças), Minas Gerais (+138,38 mil cabeças), Mato Grosso (+41,83 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+29,04 mil cabeças) e São Paulo (+2,51 mil cabeças). Em contrapartida, quedas ocorreram em: Rio Grande do Sul (-76,49 mil cabeças) e Goiás (-47,09 mil cabeças).

No ranking das UFs, Santa Catarina continuou liderando o abate de suínos, com 28,4% da participação nacional, seguido por Paraná (20,8%) e Rio Grande do Sul (16,6%).

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.



Noticias sectoriales

 
 

Cadastro Newsletter Suino Brasil Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies