Boi: cotações seguem sustentadas na maioria das praças pela a demanda externa aquecida



A tendência é que a arroba permaneça estável até o final do mês.

As referências para o mercado físico do boi gordo seguem sustentadas pela a demanda de aquecida das exportações e da baixa disponibilidade de animais terminados. A tendência é que a arroba permaneça estável até o final do mês, tendo em vista que nos últimos dias as regiões Norte e Centro-Oeste receberam chuvas e melhoraram a qualidade das pastagens.

No município de Altinópolis/SP, o valor negociado para a arroba do boi china foi de R$ 200,00/, à vista com data para o abate em 02 de junho. Já em Cafelândia/SP, os participantes do aplicativo da AgroBrazil informaram o valor negociado no boi china foi de R$ 195,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data do abate programada em 25 de maio.

Em Barras do Bugres/MT, a arroba para o boi comum foi comercializada a R$ 180,00, à prazo com trinta dias para pagar e com data para o abate em 22 de maio. Na localidade de Mineiros/GO, os pecuaristas negociaram o boi gordo com destino ao mercado interno por R$ 180,00/@, à prazo com trinta para pagar e com data para o abate em 21 de maio.

Conforme ressaltou a Informa Economics FNP, o mercado físico do boi gordo registrou baixa liquidez de negócios e algumas variações pontuais nos preços. “O instável consumo interno decorrente do isolamento social nos grandes centros urbanos e, acentuado pela chegada da segunda quinzena do mês, preocupa os frigoríficos que regulam sua produção de acordo com o escoamento dos cortes para o atacado”, apontou.

De acordo com a Radar Investimentos, parte dos frigoríficos de São Paulo e do Mato Grosso do Sul já completaram as programações de abate até o final de maio. “Isto deixa algumas indústrias fora dos negócios ou fazendo teste de preços em valores menores”, explicou no boletim matinal.

A Agrifatto Consultoria destacou que o mercado atacadista paulista foi marcado por um baixo fluxo de vendas nesta quarta-feira (13), com uma pressão negativa sendo desenhada, mas ainda não aderida. “A quinta-feira costuma ser um dia tipicamente mais ativo no atacado, deve ditar o tom dos preços a depender da demanda”, comenta.

O pesquisador do Cepea, Thiago Bernardino, destacou que os preços da carne bovina no atacado seguem estáveis. “A carne está se mantendo sustentada ao redor de R$ 13,70/kg na carcaça casada. Porém, precisamos lembrar que o boi tem muito cortes de traseiros com valor agregado maior e os dianteiros com menor valor”, afirmou em entrevista ao Notícias Agrícolas.

Mercado Futuro

Nesta quinta-feira (14), os contratos futuros para o boi gordo encerraram a sessão com valorizações nos principais contratos negociados na Bolsa Brasileira (B3). Os primeiros vencimentos registraram alta de 0,25% a 1,02%.

O Maio/20 terminou o dia cotado a R$ 200,80/@ com uma valorização de 0,96%, enquanto, o junho/20 finalizou o pregão precificado a R$ 197,00/@ com um ganho de 0,92%.

O Julho/20 registrou um avanço de 0,25% e terminou cotado a R$ 197,50/@ e o Outubro/20 teve uma valorização de 0,88% e foi negociado a R$ 199,50/@. (Notícias Agrícolas)




Entrevistas +

Noticias sectoriales

 
 

Cadastro Newsletter Suino Brasil Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies