Demanda reage em maio e preço do suíno vivo sobe



Segundo análise realizada pelo CEPEA, a liquidez dos produtos de origem suinícola no mercado doméstico tem se recuperado um pouco neste início de maio. Segundo colaboradores do Cepea, o aumento da procura de redes atacadistas e varejistas para reposição de estoques tem elevado o ritmo de negócios e, consequentemente, os preços do animal vivo. Quanto às exportações, em abril, os embarques de carne suína in natura seguiram aquecidos, ao contrário das negociações observadas no mercado doméstico naquele mês.

A demanda chinesa por carne tem sido o principal propulsor das vendas brasileiras, uma vez que o país asiático é o maior destino da proteína suína nacional. Segundo dados da Secex, a média diária de embarques em abril foi de 3,1 mil toneladas, alta de 9% frente ao de março. No total de abril, foram exportadas 62,9 mil toneladas de carne suína, leve recuo de 0,6% frente ao resultado de março (devido ao menor número de dias úteis), mas incremento de 17,5% na comparação com abril de 2019.



Noticias sectoriales

 
 

Cadastro Newsletter Suino Brasil Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies