Suíno independente continua com alta na maior parte das principais praças produtoras



Expectativa de lideranças do setor é que a próxima semana também seja de aumento nos preços, mas isso deve acontecer de forma mais discreta e lenta.

A suinocultura independente segue nesta semana com preços sustentados e até com aumento nas cotações nas principais praças produtoras. Lideranças atribuem os aumentos à flexibilização do isolamento social em algumas regiões, ao auxílio cedido pelo Governo Federal às pessoas com renda baixa e à entrada da massa salarial na semana anterior.

Em Minas Gerais, o preço de venda para o suinocultor se manteve o mesmo da semana anterior, R$ 5/kg, conforme negociação entre prosutores e frigoríficos realizada nesta quinta-feira (14).

De acordo com Alvimar Jalles, consultor de mercado da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (ASEMG), o mercado de mineiro está muito ativo, mas as diferenças em relação às demais praças do Brasil estão esticadas.

“Isso foi decisivo na manutenção dos preços por aqui, e as exportações recordes fazem a composição final da firmeza do mercado em geral”, disse Jalles.

Nesta quinta-feira (14), a Bolsa de Suínos de São Paulo fechou sem referência de preço. Na semana passada, a comercialização de suínos no mercado independente era baseada pelo valor de R$ 4,53.

O suinocultor de Santa Catarina, que também negocia o mercado independente às quintas-feiras, viu o preço aumentar de R$ 4,20/kg para R$ 4,45/kg esta semana.

Para o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, o aumento foi positivo, já que o preço se equiparou aos custos de produção.

“Vejo que a tendência de alta foi devido a uma procura maior pelos frigoríficos, que foram muito bem no mecado internacional. Também muitos municípios estão, devagar, começando a reabrir os mercados, e acredito que o clima frio também contribua para o aumento do consumo”.

De acordo com Itamar Canossa, presidente da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), o preço do suíno independente que era de R$ 3,28/kg dentro do estado na semana passada passou para R$ 3,56/kg nesta semana. Para ele, as próximas duas semanas ainda podem trazer altas nos preços, com a população voltando, aos poucos, a ter poder de compra, e com o bom ritmo nas exportações.

O aumento no Rio Grande do Sul, segundo Valdecir Folador, presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), foi de R$ 0,27, chegando a R$ 4,12/kg, em média, nesta semana.

“Esse preço tem uma razão, por ser começo de mês, pessoal indo às comrpas, então o mercado se aqueceu. Para a próxima semana a expectativa é de conseguir repor mais um pouco de preço”. (Notícias Agrícolas)




Entrevistas +

Noticias sectoriales

 
 

Cadastro Newsletter Suino Brasil Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies